Estudo com 17 milhões de pessoas descobre os fatores aumentam o risco de morte por Covid-19
quem morre covid

Um novo estudo, que analisou os registros de saúde de 17 milhões de pessoas, descobriu os fatores de risco que mais podem levar a óbito ao desenvolver Covid-19. O trabalho foi publicado na importante revista científica Nature.

A pesquisa oferece os pormenores de cada condição médica pré-existente, idade, etnia que aumenta a chance de morte por Covid-19, confirmando os resultados de pesquisas anteriores:

  • Obesos;
  • Diabéticos;
  • Idosos;
  • pessoas com limitações;
  • Negros;
  • Asiáticos;

Ele lamentou nas redes sociais ter ido a uma festa. No dia seguinte morreu de Covid-19

Quem mais morre por Covid

O estudo de Ben Goldacre, Liam Smeeth e outros usou registros do serviço de saúde pública da Inglaterra. Dos quase 17,3 milhões de adultos investigados foram constatadas quase onze mil mortes relacionadas ao novo coronavírus.

Homens

Pesquisas conduzidas anteriormente mostraram que homens tinham risco 1,59 vezes maior de morrer comparados a mulheres.

Idade

Outro fator que aumenta o risco é a idade: quem tem 80 anos ou mais aumenta em 20 vezes se comparados com pessoas na faixa de 50-59 anos.

Máscaras funcionam? Veja o que aconteceu quando cabeleireiros com COVID-19 atenderam 140 clientes em um salão

Etnia

Pretos, asiáticos e mestiços tem risco de 1,62 a 1,88 vezes maior de morte do que brancos, mesmo considerando condições médicas pré-existentes.

Fatores sociais

Os mais pobres tinham 1,8 vezes risco maior de morte do que os mais ricos, o que indica que o fator socioeconômico pode ser um influenciador.

Comorbidade

O risco de morte por Covid-19 também aumentava para pessoas com problemas médicos anteriores como:

  • obesidade (especialmente obesidade mórbida com IMC acima de 40),
  • diabéticos,
  • asmáticos graves,
  • outras doenças pulmonares,
  • problemas do coração,
  • doença hepática,
  • cérebro e
  • autoimunes.

⚠️ Alerta: o pior da pandemia ainda está por vir

Outros fatores

Tabagismo e hipertensão também aumentaram um pouco o risco de morte, mas, de acordo com os pesquisadores, isso pode ser resultado de conexões com outros aspectos clínicos e mais estudos seriam necessários para compreender melhor esses aspectos.

Causalidade

Os cientistas também observaram que estes fatores não são necessariamente causais no aumento de mortes. São correlações estatísticas significativas, isto é, fatores que unidos aos dados de óbitos contabilizados mostram uma tendência clara.

Os pesquisadores informaram que aqueles pacientes com suspeita clínica de Covid-19, mas não confirmados por exames laboratoriais, também foram incluídos. Portanto existe a possibilidade de alguma quantidade de pacientes ter sido identificada erroneamente como portadores do coronavírus por causa de seus sintomas. O contrário também pode ter ocorrido: algumas mortes nos primeiros estágios talvez não tenham, erroneamente, sido creditadas ao Covid-19. Outro problema, que os próprios pesquisadores apontam, é que vários registros estão incompletos, pois falta o dado de etnia para quase um terço dos registros. [Medical Xpress, Nature]



[ad_2]

Source link

Add Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Send message via your Messenger App