os benefícios acadêmicos e de saúde dos cochilos para crianças

Uma nova pesquisa da Universidade da Pensilvânia e da
Universidade da Califórnia em Irvine (ambas nos EUA) confirmou o que muitos
pais já sabiam: que cochilos são muito importantes para a saúde e o desempenho
das crianças.

Resultados

O estudo envolveu quase 3.000 alunos do quarto, quinto e
sexto com idades entre 10 e 12 anos.

Os pesquisadores encontraram uma conexão entre um cochilo ao
meio-dia e maior felicidade, autocontrole e resiliência; menos problemas
comportamentais; e maior QI, este último particularmente para os alunos da
sexta série.

As descobertas mais robustas foram associadas ao desempenho
acadêmico. “As crianças que cochilavam três ou mais vezes por semana se
beneficiaram de um aumento de 7,6% no desempenho acadêmico na 6ª série. Quantas
crianças não querem que as suas pontuações subam 7,6 pontos em 100?”, esclarece
um dos autores do estudo, Adrian Raine.

A deficiência de sono e a sonolência diurna foram
surpreendentemente generalizadas, com a sonolência afetando até 20% de todas as
crianças.

Importância do sono

Na ciência, os efeitos negativos cognitivos, emocionais e
físicos de um sono de má qualidade são bem estabelecidos. No entanto, a maioria
das pesquisas realizadas sobre sono em crianças até agora se concentraram em indivíduos
com idade pré-escolar.

Isso é parcialmente porque, em lugares como os Estados
Unidos, o hábito do cochilo cessa completamente quando as crianças ficam mais
velhas.

Na China, no entanto, a prática é incorporada à vida
cotidiana, continuando até o ensino fundamental e médio.

Então, os pesquisadores, liderados por Jianghong Liu,
professor de enfermagem e saúde pública da Universidade da Pensilvânia,
recorreram a uma pesquisa chinesa chamada “China Jintan Cohort Study”, iniciada
em 2004 para acompanhar participantes desde a infância até a adolescência.

Metodologia

Os pesquisadores coletaram dados sobre a frequência e
duração de cochilos em crianças da 4ª a 6ª série, bem como resultados quando
atingiram a 6ª série, incluindo medidas psicológicas e físicas como felicidade,
índice de massa corporal e níveis de glicose.

Também pediram aos professores para fornecer informações
comportamentais e acadêmicas sobre cada aluno.

Então, analisaram as associações entre cada resultado e os hábitos
de cochilo, levando em consideração fatores como sexo, localização da escola,
educação dos pais e tempo noturno de sono.

No futuro

Esse foi o primeiro estudo abrangente desse tipo. Embora os
resultados sejam correlacionais, os pesquisadores dizem que podem oferecer uma
alternativa ao pedido de pediatras e autoridades de saúde pública para que as
aulas comecem mais tarde.

“O cochilo do meio-dia é facilmente implementado, e não
custa nada”, explica Liu, “particularmente se acompanhado de um final do
expediente um pouco mais tarde, para evitar o corte no tempo educacional. Isso
não apenas ajudará as crianças, mas também tirará tempo de uso de tecnologia, o
que está relacionado a muitos resultados de saúde mistos”.

Idealmente, um estudo de controle randomizado poderia
estabelecer causalidade entre cochilar e um melhor desempenho acadêmico.

Um artigo sobre a pesquisa foi publicado na revista científica Sleep. [MedicalXpress]



[ad_2]

Source link

Add Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Send message via your Messenger App