Pacientes que se recuperaram do coronavírus estão testando positivo de novo

Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças da Coreia do Sul (KCDC, na sigla original em inglês) estão lidando com um mistério: 163 pessoas que haviam se recuperado do coronavírus testaram positivo novamente.

A proporção de casos “reincidentes” ainda é baixa – das 7.829 pessoas curadas do coronavírus no país, 2,1% testaram positivo de novo, embora não esteja claro quantos pacientes recuperados foram testados.

Esses resultados levantam uma questão muito importante: será que as pessoas podem se reinfectar com o coronavírus?

Em resumo: não sabemos

O diretor do KCDC, Kwon Joon-wook, afirmou que não há evidências de que os pacientes que testaram positivo novamente sejam contagiosos, apesar de cerca de 44% terem sintomas leves.

Por enquanto, a explicação mais provável parece ser de que o teste está reagindo a reminiscentes do vírus.

Dito isto, tem muita coisa sobre o Covid-19 que ainda não sabemos, especialmente no que diz respeito a imunidade adquirida naturalmente.

O KCDC planeja testar 400 amostras de pessoas infectadas e recuperadas para tentar entender melhor se há imunidade após a infecção, mas esse estudo deve demorar semanas.

“O Covid-19 poder ser o patógeno mais desafiador que já enfrentamos em décadas recentes. É um inimigo difícil”, afirmou Kwon.

O cenário mais provável

O KCDC investigou três casos da mesma família nos quais os pacientes testaram positivo após se recuperarem. Em todos, os cientistas tentaram incubar o vírus, mas não conseguiram. Isso significa que não havia vírus vivos presentes na amostra.

Como muitos outros países, a Coreia do Sul utiliza um método de testagem chamado RT-PCR (transcriptase reversa seguida de reação em cadeia da polimerase). Ele funciona procurando evidências da informação genética – no caso, o RNA – do vírus em uma amostra.

Segundo Kwon, este tipo de teste pode detectar partes do RNA do coronavírus mesmo depois de uma pessoa se recuperar do Covid-19, porque são muito sensíveis.

“No momento, achamos que não há perigo de transmissão secundária ou terciária”, argumentou Kwon.

Alternativas

Se os positivos não forem reminiscentes de vírus não contagiosos, precisamos de outra explicação para os resultados. Estas podem ser um erro na testagem, ou a reativação do coronavírus.

Erros em testes podem acontecer por uma variedade de motivos, incluindo problemas com os químicos utilizados em laboratório e possibilidade de mutação do vírus, de forma que ele não é identificado corretamente.

Perigo de reinfecção

Quando uma pessoa está se recuperando do coronavírus, produz anticorpos. Estes são importantes porque podem impedir que o indivíduo se infecte novamente, uma vez que o corpo já sabe lutar contra a doença.

O fato de algumas pessoas testarem positivo novamente é preocupante porque levanta questões sobre como os anticorpos respondem ao Covid-19. Podem existir pacientes que não desenvolvam anticorpos para o vírus, embora não haja suspeita de que isso seja algo comum.

No geral, os médicos e as autoridades da saúde simplesmente não sabem se uma pessoa que se recuperou do Covid-19 ainda pode liberar RNA contagioso.

“Essa é uma pergunta pendente – ainda não foi respondida nos estudos, embora as pessoas estejam realmente trabalhando nisso, cultivando o vírus e vendo se esse potencial existe”, disse a Dra. Deborah Birx, coordenadora de resposta ao coronavírus do governo americano.

Depois que pacientes com coronavírus são declarados recuperados, o KCDC recomenda mais duas semanas de isolamento. [CNN]



[ad_2]

Source link

Add Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Send message via your Messenger App